Notícias

15/05/2018 16:28

Projeto Cuca Zen: Professores recebem orientações sobre os benefícios da atividade física

Cada dia que passa as pesquisas científicas comprovam que o corpo humano foi feito para estar em movimento constante, e quando isso não acontece, doenças aparecem em virtude do sedentarismo, como alertou o bioantropólogo e chefe do departamento de Biologia Humana da Universidade de Harvard, Daniel Lieberman. “Como resultado (da inatividade), bilhões de pessoas sofrem de doenças de afluência e desuso, que costumavam ser raras ou desconhecidas. Depois, tratamos os sintomas destas doenças porque é mais fácil, mais lucrativo e mais urgente do que tratar as causas, muitas das quais não entendemos mesmo. Desse modo, perpetuamos uma curva de feedback perniciosa – des-evolução – entre cultura e biologia”, observou o cientista.

 

Esse alerta foi passado para os professores da rede pública municipal de ensino pela Doutora em Psicologia, Camila Ferreira, e pelo Mestre em Educação Física, Eduardo Teles, durante a palestra “Psicoeducação – Exercício físico e saúde mental”, realizada no auditório do SINDIPEMA. O evento faz parte do Projeto Cuca Zen, que pretende melhorar a autorregulação emocional, reduzir a ansiedade e o stress e, desta forma, fazer com que menos profissionais da Educação tenham que ser afastados das atividades em sala de aula por causa de doenças decorrentes do trabalho. A primeira atividade do projeto teve como objetivo fazer com que os professores entendessem porque muito se fala que a atividade física é benéfica à saúde física e mental, explicações que foram dadas com base nos estudos feitos por pesquisadores renomados em todo o mundo, porém, de maneira bem descomplicada.

 

“Praticar atividade física regular é capaz de prevenir o surgimento de 13 tipos de câncer; tem efeito antidepressivo porque regula a fabricação de hormônios específicos, como os que provocam o stress, os que fornecem a sensação de prazer, e os que atuam como analgésicos. Além do mais, a ciência já comprovou que a prática frequente de exercício físico é capaz de fazer com que sejam criados, em partes específicas do cérebro, novos neurônios. Uma das áreas beneficiadas com esta produção é o hipocampo, responsável pela formação de novas memórias, o que auxilia na prevenção ao surgimento do mal de Alzheimer”, falou a Dra. Camila Ferreira. Ela fez questão de frisar que tanto o corpo quanto a mente devem estar em equilíbrio, reforçando a teoria milenar de corpo são mente sadia, pois não só os males da mente desregulam o corpo, o contrário também acontece.

 

“É fundamental não esquecer que corpo e mente estão ligados. Uma descompensação da diabetes, por exemplo, faz com que haja inflamação sistêmica no organismo, levando à produção de citosina inflamatória, informação que viaja até o cérebro. Lá ele vai ficar sabendo que tem que produzir a mesma substância, só que para isso ele passa a alterar negativamente os processos cognitivos afetando questões como trabalho, e a atenção. A atuação do efeito do exercício físico no cérebro é única no sentido de melhorar a saúde mental e as funções cognitivas”, declarou a palestrante. Mas, qual seria o tipo ideal de atividade física capaz de reduzir os transtornos de humor, a ansiedade, de prevenir as doenças degenerativas e a depressão, e também ser auxiliar no tratamento deste último tipo de patologia, que tem se revelado como um dos grandes males da sociedade moderna?

 

Camila Ferreira informou que os estudos apontam como práticas indicadas as aeróbicas, a exemplo da corrida, caminhada e natação, sempre de forma moderada e frequente (pelo menos 150 minutos por semana), e realizadas sob a orientação de profissional habilitado. “Nunca é tarde para começar a movimentar o corpo e, desta forma, ter melhor qualidade de vida. Esqueçam o tempo que passou e o que deixou de ser feito. Vamos começar a partir de agora”, estimulou a Dra. em Psicologia. Ao final da palestra os participantes responderam o questionário ‘Escala de Sensações Corporais – ESC’, que continha tipos específicos de sensações que podem ocorrer quando o indivíduo fica nervoso diante de uma situação temida, a exemplo de coração disparado, opressão no peito, dormência nos braços ou pernas, falta de ar e náuseas.

 

O questionário vai auxiliar na composição de um relatório diagnóstico, não clínico, ao final do projeto, sobre a qualidade da saúde dos participantes do Cuca Zen. Na tarde desta terça-feira, 15 de maio, será realizada a oficina “Efeitos do exercício físico sobre o cérebro – alongamentos e posturas”. Na quinta-feira, 17 de maio, às 16h30, acontece a oficina “Respiração e 1ª prática do Yôga”. As inscrições para esta atividade já foram encerradas. No dia 27 de maio (domingo), às 7h30, no Parque da Sementeira, será realizada a 1ª Caminhada Cuza Zen, evento aberto aos professores filiados e familiares. Além da caminhada também haverá prática de Yôga e será oferecido café da manhã aos participantes.