Notícias

13/09/2018 14:49

Educação desvalorizada reflete em IDEB de Aracaju

Na última semana o Ministério da Educação divulgou o resultado do índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2017. Apesar de compreender que este índice não consegue avaliar toda a complexidade de uma sala de aula em seu processo educativo, devemos fazer uma reflexão sobre os resultados obtidos.

Em Aracaju, 36 das 43 escolas de ensino fundamental foram avaliadas. Dessas, apenas 14 alcançaram a média prevista, outras 10 aumentaram sua nota, mas não atingiram a meta mínima e 12 continuaram com sua nota estagnada. Com esses dados, Aracaju alcançou a média de 4.6 nos anos iniciais do ensino fundamental (1º ao 5º ano) e os anos finais (6º ao 9º ano), nota 3.7. Os dados demonstram que oferecer uma educação de qualidade não tem sido prioridade em nosso município.

Há prédios escolares abandonados; frequentes suspensões de aulas por medo da violência, já que não há segurança nas unidades de ensino; creches sem condições de funcionamento, falta funcionários para atendimento aos filhos dos trabalhadores; falta de professores e funcionários para atender as demandas das unidades de ensino; dois anos sem reajuste salarial (PISO NACIONAL), que é um direito garantido por lei federal.

Esses problemas são uma grande barreira na aprendizagem dos alunos, que os professores, mesmo desmotivados e desvalorizados pela atual gestão, precisam derrubar diariamente para garantir que o Ideb continue aumentando. Diante da atual situação da educação municipal, é notório que não há prioridade na área do ensino e muito menos um “carinho especial da prefeitura”. O SINDIPEMA continuará lutando por uma educação de qualidade e melhores condições de trabalho para os alunos e a categoria.